Câncer de mama: a hora é agora.

A importância do diagnóstico precoce no tratamento da doença

O câncer de mama é uma das doenças mais temidas pelas mulheres – e no Brasil, também é uma das doenças que mais causam mortes entre as mulheres. Mas você não precisa se preocupar nem entrar em pânico se encontrar um caroço nos seios. O câncer de mama também é uma doença tratável, principalmente se o diagnóstico for feito no início. Por isso existem tantas campanhas de conscientização sobre o tema – cuidar da própria saúde ainda é a melhor forma de combater e tratar toda e qualquer doença.

Muitos médicos recomendam que o exame específico das mamas, a mamografia, seja feito a partir dos 40 anos. Mas essa “idade limite” tem sido reduzida para 35 anos, e até para menos, especialmente em mulheres que já têm histórico de câncer de mama na família.

Não existe uma causa específica para o câncer de mama. O que os médicos reconhecem é que muitos fatores podem favorecer o surgimento da doença, de predisposição genética a obesidade e tabagismo. Por isso, seja qual for a sua idade, nunca é cedo demais (nem tarde demais) para adotar hábitos saudáveis. E se você ainda está longe dos 35, o auto-exame é a melhor forma para cuidar da saúde dos seus seios. Ele pode ser feito em casa, sozinha em frente ao espelho – a hora do banho é a mais indicada.

Em frente ao espelho, observe os dois seios, primeiro com os braços ao longo do corpo, depois com os braços levantados. Alguns caroços podem ser visíveis a olho nu. Durante o banho, com as mamas ensaboadas, apalpe cada uma usando as pontas dos dedos. É importante que o auto-exame seja feito em toda a mama, da parte de baixo até a altura das axilas, passando pelas auréolas.

No auto-exame muitas mulheres descobrem cistos ou nódulos nos seios , que não estão necessariamente ligados ao câncer de mama. É fundamental procurar um médico caso isso aconteça para que ele indique a melhor forma de tratamento.

Para as mulheres acima dos 35 anos, o drama é outro: a mamografia. São comuns as reclamações sobre as dores sentidas durante o exame, mas vale ressaltar que isso varia de mulher para mulher; e também tem a ver com o tamanho das mamas, a TPM, a sensibilidade na região.

Nenhum outro exame substitui a mamografia, é a forma mais precisa e segura para se chegar a um bom diagnóstico. Por isso, sem neuras e sem medo: seja qual for a sua idade, seus seios merecem todo o cuidado do mundo!

Um comentário

  1. sirlene

    o texto me ajudou muito, esclarecedor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carrinho